Nossas redes sociais:
sac@comapa.com.br (66) 3411 6500

Blog

publicado em 24 de abril de 2019

Erros no assentamento de pisos: quais os principais e como evitá-los

Uma das dúvidas mais comuns para quem está reformando ou construindo é em relação ao assentamento de pisos e porcelanatos. Isso acontece porque são peças delicadas e, quando não são colocados de maneira correta, podem ficar soltos, com rachaduras ou até desalinhados.

Para começar, é importante traçar um bom planejamento, escolher os materiais de qualidade e, claro, contratar os serviços de um bom profissional. Você deverá acompanhar o andamento das obras para garantir que tudo está saindo conforme o esperado e evitar qualquer tipo de problema.

Quer saber quais são esses erros?

1. Não observar o nivelamento do contrapiso

Você já conferiu se o seu contrapiso está bem nivelado? Um dos erros mais frequentes na hora de assentar o piso é instalá-lo sem conferir o nivelamento do chão. Por que isso é tão importante? Com uma superfície desnivelada e mal preparada, você aumenta as chances de criar trincas, ocos, rachaduras e placas soltas após concluir a reforma.

Caso o nível do contrapiso não esteja nivelado, deve se consertado antes de começar o assentamento.
Confira, previamente, se as placas utilizadas são planas e uniformes. Se houver algum defeito, não precisa descartar use para fazer recortes para completar a superfície e o rodapé.

Anote a dica: considere a ideia de investir na impermeabilização do contrapiso e da parede, principalmente em cozinhas, banheiros e lavanderia. Isso evitará o desprendimento das placas e o comprometimento dos ambientes nos andares inferiores.

2. Desconhecer o espaçamento entre as placas

Outro ponto que merece destaque é o espaçamento entre as placas. Sem o conhecimento necessário, muitas pessoas acabam deixando a superfície disforme ou com intervalos extensos entre cada peça. Sem dúvida, essa falta de padronização prejudicará o resultado estético do seu assentamento de revestimento e também perdendo a garantia do produto.

Como evitar o problema? Simples, utilizando espaçadores. Muito usados na construção civil, essas pequenas peças de plástico, e em formato de cruz, apresentam diferentes tamanhos, que vão de 1 a 8 milímetros, esse tamanho vem indicado na caixa pelo fabricante.

Quando colocadas entre uma placa e outra, eles cumprem muito bem a função de alinhar a instalação e garantir a espessura correta do rejunte. Além de contribuir para a estética do piso, evitam o desplacamento, que pode ocorrer devido à dilatação das peças.

3. Deixar as peças desniveladas

Por último, não deixe de conferir o alinhamento das peças. Afinal, uma superfície sem padrão fará com que o seu piso apresente um aspecto feio e nada agradável aos olhos. Para garantir que a sua instalação fique bem alinhada, observe os seguintes pontos:

  •  Verifique se há alguma placa fora da área de aplicação do revestimento. Para facilitar, passe um cartão nas juntas — se ele enroscar, é porque as peças estão desniveladas;
  • Com o cabo do martelo ou vassoura, bata suavemente no chão. Se houver alguma peça solta, você ouvirá um som oco;
  • Utilize um nível de mão para garantir que o nivelamento fique impecável.
  • Pode-se utilizar ao invés de espaçadores, niveladores que fará tanto o espaçamento das peças quanto o nivelamento delas, já que são aplicados com alicate.

Concluiu todas as etapas? Agora, proteja muito bem a superfície com plásticos, ou outros materiais, para não causar danos, como riscos ou rachaduras. Esse isolamento deve ser mantido por 24 horas.

Pronto! De forma prática e simples, você terá um assentamento de alta qualidade, não precisará se preocupar com consertos futuros e ficará longe de prejuízos.

Lembre-se: para garantir um trabalho de primeira, a escolha de um bom profissional faz toda a diferença.

Fonte: Só Reparos