Nossas redes sociais:
sac@comapa.com.br (66) 3411 6500

Blog

publicado em 27 de maio de 2019

Dicas para escolher a luminária certa

A iluminação ajuda diretamente na caracterização dos ambientes. Ela faz parte de todo o clima criado, a cor da luz, a luminária escolhida, tudo isto faz parte da criação de um espaço agradável e convidativo.

Qual luminária escolher?

Cada luminária tem a sua característica especial. Seja pelo design, seja pela luz (direta ou indireta).
As luminárias pendentes, por exemplo, são ótimas escolhas para colocar nas salas de jantar. Elas criam um clima confortável e aconchegante para as refeições. Caso a sua mesa de jantar fique na cozinha, a dica é escolher uma luminária pendente para o centro da mesa  e plafons com lâmpadas brancas nas laterais. Dessa forma, você tem um clima convidativo para as refeições ou, se ascender as lâmpadas laterais, uma bela cozinha estimulante para preparar refeições.

Porém, não é apenas sobre a mesa da cozinha que a luminária suspensa cria um clima especial. Escolher este modelo para o centro da sala de estar, entre o sofá e a televisão, contribui com o clima sofisticado e de receptivo para aqueles momentos que só se deseja relaxar.

Tipos de Luminárias

  • Arandelas: São as luminárias de parede. Elas proporcionam luz difusa, que ilumina suave e indiretamente. Podem projetar a luz para cima, para baixo ou para os lados. Geralmente são utilizadas para demarcar espaços, iluminando quadros, móveis, peças de decoração ou até mesmo como abajur ao lado da cama.
  • Embutidas: As luminárias que ficam embutidas no forro ou no teto ajudam a criar um acabamento minimalista. Além disso, evitam interferência na decoração do ambiente. Podem ser usadas em quaisquer ambientes, tanto mais aberta, para iluminá-lo como todo, ou com ângulo mais fechado, focando um objeto, por exemplo.
  • Pendentes: Os pendentes ficam pendurados no teto, mas, ao contrário das embutidas, chamam atenção e aparecem bastante na decoração. Por isso, devem ser bonitas e combinar bem com o ambiente em que estão. São muito empregadas para iluminação mais direcionada, mais próxima, sobre mesas, poltronas, bancadas, etc.
  • Lustres: Eles também são pendentes, porém mais detalhados, com maiores destaque e apelo decorativo. Os feitos com vidros ou cristais são bastante utilizados.
  • Plafons: Ficam no teto, mas, ao contrário das embutidas, são sobrepostas – totalmente expostas. Clareiam o ambiente, sem dar foco. São usadas de banheiros a salas, com diferentes visuais.
  • Spots: Os spots ficam no teto ou no chão e servem para criar foco, com iluminação mais direcionada que as luminárias embutidas. Para melhores efeitos, a luminária deve sempre combinar com a lâmpada, em formato e em estilo.

Como se pode perceber, as luminárias criam estilos diferentes de acordo com o tipo de luz que projetam. Você não precisa escolher por apenas um modelo de luminária. É possível criar ambientes incríveis misturando estilos.

A cor da luz

A iluminação é uma das principais responsáveis pela sensação que o ambiente passa. Saber qual tipo de experiência aquele espaço deve passar é a melhor forma de escolher a cor das lâmpadas.

Quarto e sala de jantar merecem luzes amarelas, por exemplo, enquanto a cozinha e o escritório, geralmente, precisam de luzes brancas. Isso porque a luz amarela passa uma sensação maior de conforto enquanto a luz branca é mais enérgica.

Alguns ambientes precisam de iluminação branca por um motivo simples: a sensação de limpeza. Grande exemplo disso são os banheiros e cozinhas. Experimente colocar uma lâmpada branca e depois troque por uma amarela. Verá a diferença no estilo!

As lâmpadas brancas contribuem para a harmonia de decorações mais cleans, enquanto as lâmpadas amarelas fortalecem a ideia das cores quentes.

Fonte: Artmaison
Fonte 2: Ombrelo